Sexta, 06 Março 2015 09:58

Primeira Semana do Engenheiro Agrônomo, na Escola de Agronomia da Universidade Federal do Ceará, em 7 a 10 de Outubro de 1970

 
Avalie este item
(0 votos)

ALGUMAS INDICAÇÕES REFERENTES A UMA POLÍTICA GOVERNAMENTAL

PARA O SETOR DA AGRICULTURA NO ESTADO DO CEARÁ

 

 

Pronunciamento apresentado ao plenário da 1ª Semana do Engenheiro-Agrônomo, realizada na escola de Agronomia da Universidade Federal do Ceará, lido a guiza de debates, pelo Professor  Francisco Alves  de Andrade e Castro, por ocasião da Conferência do Cel. César Cals de Oliveira Filho, candidato eleito ao Governo do Estado.

Nas regiões subdesenvolvidas do mundo subsistem, segundo Lebret, três círculos viciosos em face dos quais é preciso lutar por abrir caminho novo num vivo esforço de liberação.

Há assim, e vislumbramos, entre nós, um círculo vicioso da miséria e da fome, diante da escassez; um círculo vicioso da dependência, resultante da estrutura ou condições impostas de fora para dentro; e um outro círculo vicioso do planejamento com a ausência de reformas de estrutura, que nos parece muito grave, uma vez que fecha definitivamente a porta ao desenvolvimento.

O planejamento para romper estes círculos não pode ser aristocrata, ou de gabinete, não poderá vir de cima para baixo, mas há que ser democráticos, populares, auscultando as necessidades da massa e suas comunidades, vindo de baixo para cima, devendo ser elaborado por planejadores autóctones, isto é, por parte daqueles que, vivendo na região têm dela o conhecimento real e vivência.

Por outro lado, existe aqui um abismo entre o técnico e o político. E em relação ao político, é muito difícil executar o planejamento sob impositivos partidários.

No Ceará, a cobiça partidária contribuiu para arruinar os serviços agrícolas. É necessário substituí-la para arruinar os serviços agrícolas. É necessário substituí-la por uma verdadeira capacitação técnica e por garantia em que os técnicos e administradores tenham liberdade de direção.

Por outro lado, é necessário empreender as reformas de estrutura agrária e administrativa, de natureza organizacional e mental. É que há uma multiplicidade de serviços agropecuários agindo isolados, paralelos ou superpostos.

Em relação a estes serviços e, considerando sobretudo a necessidade de integração da Universidade no processo de desenvolvimento da agropecuária cearense, ousamos sugerir alguns objetivos visando a articulação de serviços cujas estruturas devem ser mudadas para uma atividade em busca do desenvolvimento, econômico e social.

Lido 1443 vezes Última modificação em Domingo, 31 Maio 2015 22:38