Memória das Secas (20)

O SR. JOSÉ LINS DE ALBUQUERQUE – Meu prezado amigo João Luis Ramalho, Presidente da FACIC, meu caro Sancho, Senador Virgílio Távora, senhores Deputados Federais, Sr.Senador José Macedo, Deputado Marcelo Linhares, Ernesto Gurgel, Januário Feitosa, Sr. Presidente do tribunal do Trabalho, Dr.Osmundo Pontes, Diretor do DNOCS, meus senhores, eu acho que os senhores já ouviram muita cousa sobre seca, depois de dois dias conversando sobre isto, sobre o Nordeste, sobre seca, naturalmente que os senhores já esgotaram os assuntos talvez sob todos os ângulos fundamentais sobre os quais o problema se apresenta. De modo que falarei um pouco sobre este problema, levantando alguns problemas fundamentais já conhecidos dos senhores, nenhuma novidade, porque não as há, mas sobretudo eu gostaria de ouvir um pouco o pensamento dos senhores e talvez se possa fazer isso através das perguntas, talvez nos debates.

O distinto jornalista Roberto Moreira, editor deste Blog, solicitou-me fazer uma análise consubstancial sobre o papel do Açude Castanhão tendo em vista o quadro de incertezas face à seca que o Estado do Ceará está enfrentado no seu segundo ano consecutivo.

Em 1934/1935 morávamos na cidade de Gameleira, na Zona da Mata em Pernambuco, onde meu pai era pastor da pequena igreja presbiteriana local. Esse foi um tempo de seca no Nordeste, que me ficou na memória, apesar de minha tenra idade, de quatro ou cinco anos. Aliás, as secas não ocorrem em um ano apenas. Em geral se alastram por um período de tempo. Essa, dita “de 34”, começara anos antes, mas naquele ano ela se intensificara.

Domingo, 11 Janeiro 2015 18:09

Lembrando Retirantes 1944

Nas férias escolares de 1944, com 15 anos de idade, fui passar uns dias em uma das fazendas do meu tio médico, Dr. Othoniel Furtado Gueiros, em Canhotinho, Pernambuco.

Sábado, 29 Novembro 2014 13:33

A Seca não é Exceção

A partir de 2003 a climatologia foi generosa com o povo nordestino ao favorecer a nossa Região com sete anos de boas chuvas, consideradas normais, superior, ou no entorno da média histórica. Nesse período, os açudes com suas acumulações acima ou próximas da média, a população cearense, sem se aperceber dessa prodigiosa benesse da natureza, poderia imaginar que essa auspiciosa ocorrência fosse resultado do “monitoramento dos açudes”, realizados pelo DNOCS e COGERH, este responsável pela gestão dos recursos hídricos no Estado do Ceará. Sete anos depois, a seca está, mais uma vez, instalada em nossa Região. Pela sua frequência e regularidade, ela é uma regra e não uma exceção.

De minha infância, em Ipueiras, guardo o dialético jogo das águas, por entre cheias e leitos secos dos ricos, a nos falar dos surtos entre o solidário e o solitário. Moacir daqui emi­grante, fui compreender "além, muito além daquela serra", a dos Órgãos, a divisão entre os homens que teria visto nascer Rousseau, com seu pacto social, quando um deles cercara um pedaço de terra ao rotulá-lo de  "isso é meu"....

Pagina 2 de 2