Terça, 28 Julho 2015 08:54

A Metáfora do Sol: Reflexões e Análises (1984-1989)

 
Avalie este item
(1 Voto)

   A Metáfora do Sol é um dos últimos livros que integram a obra completa de Dimas Macedo. Trata-se de uma seleção de ensaios referentes a trabalhos publicados entre 1984 e 1989, alguns deles inéditos incentivando ao debate de estudos políticos e a crítica literária. Um livro de temáticas diversas unido pelo fio condutor de tentativas de compreensão de grandes temas como liberdade, justiça social, ideologia e política, história e memória. Um livro composto, na sequência, pelos Recortes Literários e Reflexões Políticas.

   O debate teórico do socialismo e o interesse pelo polêmico conceito de soberania e desenvolvimento são inovadores na mesma medida que se ligam à interdependência entre os estados.   O discurso ideológico do Padre Mororó, o sentido e o alcance da democracia devem ser lidos e refletidos concordes o pensamento do autor sobre a permanência do clientelismo político no Nordeste e a realidade da existência dos velhos e dos novos coronéis, alguma coisa símile ao verso e reverso de um cartão de embarque, que acaba de ser emitido. O livro apresenta como cenário visões parciais da Terra do Sol onde os temas tocados pelo autor são preocupações no meio universitário brasileiro onde se percebe a mistificação ideológica e a necessidade de libertar a literatura do processo de escamoteação do real, reforçada pelo não reconhecimento de sua inserção no lócus social.


Este sem dúvida foi um livro que me surpreendeu muito, e figura entre um dos melhores ensaios de nossa historiografia que já tive oportunidade de ler. Eu já havia lido do poeta Dimas Macedo A Distancia de Todas as Coisas (1980 3 ed. 2001). Mas sem dúvida alguma, A Metáfora do Sol superou minhas expectativas. Acredito que o interesse do leitor é captado em cada linha, pois é solicitado a envolver-se direta ou indiretamente na temática.

Mas a surpresa da leitura não para por aí. Querem saber por quê? Outro detalhe de relevância nos livros de Dimas Macedo, e que não poderia faltar neste aqui, é o uso de uma linguagem provocativa muito real, propondo uma reflexão exposta na sua trama, na prosa e na poesia. Ela pode ser tecida de forma que a realidade da observação pode ser encontrada no nosso próprio cotidiano. Ou seja, há elementos que nos fazem pensar, divergir, contradizer, mas o autor não nos deixa indiferentes ao que escreve.

 Um bom exemplo em A Metáfora do Sol é o capítulo sobre a Literatura Feminina Cearense- Introdução. É o tema abordado no livro quase de forma pioneira onde ele nomeia algumas literatas - agradecendo aqui ao autor o obséquio de citar-me- mesmo sem especificar tantas mestras e doutoras cearenses formadas no Brasil e no exterior. A educação superior no país, e toda a dificuldade que pode haver por trás das instituições de ensino e das próprias carreiras de cada uma delas fica à imaginação do leitor. Mas, com certeza, um dos pontos altos do livro é a fundamentação de qualidade e conhecimento do assunto, mesmo com os necessários cortes parciais dos temas elencados. As condições de marginalidade no domínio da arte literária e o esquecimento  de algumas obras e autores que deveriam integrar o rol de nossas lembranças é tocado de forma muito sutil. Considero mesmo que de certa forma, é inusitado entre nós E muitos de vocês irão se surpreender com o final de alguns capítulos o que tornou a leitura mais agradável e envolvente. O fato da abordagem de vários assuntos, ao contrário do que se possa pensar deixou o livro bem interessante e mais convidativo para a sua utilização prática em trabalhos de pesquisa.

 

A Metáfora do Sol: Ensaios e Reflexões. 1984-1989 em 5ª edição foi impresso em Fortaleza pela Expressão Gráfica Editora e tem 148 p.

 

Lido 1003 vezes