Resenhas (17)

Quarta, 19 Agosto 2015 10:07

A Biografia Íntima de Leopoldina

A Biografia Íntima de Leopoldina.  A Imperatriz que Conseguiu a Independência do Brasil- resenha e comentários

   A Metáfora do Sol é um dos últimos livros que integram a obra completa de Dimas Macedo. Trata-se de uma seleção de ensaios referentes a trabalhos publicados entre 1984 e 1989, alguns deles inéditos incentivando ao debate de estudos políticos e a crítica literária. Um livro de temáticas diversas unido pelo fio condutor de tentativas de compreensão de grandes temas como liberdade, justiça social, ideologia e política, história e memória. Um livro composto, na sequência, pelos Recortes Literários e Reflexões Políticas.

   O debate teórico do socialismo e o interesse pelo polêmico conceito de soberania e desenvolvimento são inovadores na mesma medida que se ligam à interdependência entre os estados.   O discurso ideológico do Padre Mororó, o sentido e o alcance da democracia devem ser lidos e refletidos concordes o pensamento do autor sobre a permanência do clientelismo político no Nordeste e a realidade da existência dos velhos e dos novos coronéis, alguma coisa símile ao verso e reverso de um cartão de embarque, que acaba de ser emitido. O livro apresenta como cenário visões parciais da Terra do Sol onde os temas tocados pelo autor são preocupações no meio universitário brasileiro onde se percebe a mistificação ideológica e a necessidade de libertar a literatura do processo de escamoteação do real, reforçada pelo não reconhecimento de sua inserção no lócus social.


Este sem dúvida foi um livro que me surpreendeu muito, e figura entre um dos melhores ensaios de nossa historiografia que já tive oportunidade de ler. Eu já havia lido do poeta Dimas Macedo A Distancia de Todas as Coisas (1980 3 ed. 2001). Mas sem dúvida alguma, A Metáfora do Sol superou minhas expectativas. Acredito que o interesse do leitor é captado em cada linha, pois é solicitado a envolver-se direta ou indiretamente na temática.

Mas a surpresa da leitura não para por aí. Querem saber por quê? Outro detalhe de relevância nos livros de Dimas Macedo, e que não poderia faltar neste aqui, é o uso de uma linguagem provocativa muito real, propondo uma reflexão exposta na sua trama, na prosa e na poesia. Ela pode ser tecida de forma que a realidade da observação pode ser encontrada no nosso próprio cotidiano. Ou seja, há elementos que nos fazem pensar, divergir, contradizer, mas o autor não nos deixa indiferentes ao que escreve.

 Um bom exemplo em A Metáfora do Sol é o capítulo sobre a Literatura Feminina Cearense- Introdução. É o tema abordado no livro quase de forma pioneira onde ele nomeia algumas literatas - agradecendo aqui ao autor o obséquio de citar-me- mesmo sem especificar tantas mestras e doutoras cearenses formadas no Brasil e no exterior. A educação superior no país, e toda a dificuldade que pode haver por trás das instituições de ensino e das próprias carreiras de cada uma delas fica à imaginação do leitor. Mas, com certeza, um dos pontos altos do livro é a fundamentação de qualidade e conhecimento do assunto, mesmo com os necessários cortes parciais dos temas elencados. As condições de marginalidade no domínio da arte literária e o esquecimento  de algumas obras e autores que deveriam integrar o rol de nossas lembranças é tocado de forma muito sutil. Considero mesmo que de certa forma, é inusitado entre nós E muitos de vocês irão se surpreender com o final de alguns capítulos o que tornou a leitura mais agradável e envolvente. O fato da abordagem de vários assuntos, ao contrário do que se possa pensar deixou o livro bem interessante e mais convidativo para a sua utilização prática em trabalhos de pesquisa.

 

A Metáfora do Sol: Ensaios e Reflexões. 1984-1989 em 5ª edição foi impresso em Fortaleza pela Expressão Gráfica Editora e tem 148 p.

 

Caros leitores,

A revista Revista Brasileira de Literaturas e Teologias (TEOLITERARIA). ISSN
2236-9937 acaba de publicar seu último número, disponível em
http://revistas.pucsp.br/index.php/teoliteraria. Convidamos a navegar no
sumário da revista para acessar os artigos e outros itens de seu interesse.

Agradecemos seu interesse e apoio contínuo em nosso trabalho,
Prof. Dr. Alex Villas Boas
PUC-SP
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Revista Brasileira de Literaturas e Teologias (TEOLITERARIA). ISSN 2236-9937
v. 5, n. 9 (2015): Religião, Arte e Literatura: interfaces do Sagrado
Sumário
http://revistas.pucsp.br/index.php/teoliteraria/issue/view/1416

Editorial
--------
Religião, Arte e Literatura: Interfaces do Sagrado (8-12)
Alex Villas Boas


Artigos Temáticos
--------
MANIFESTAÇÕES HUMORÍSTICAS SUBVERSIVAS A PARTIR DO TEXTO BÍBLICO: UM
PANORAMA (13-38)
André Luiz da Silveira, Salma Ferraz

“El revés de la trama”. La soledad y el anhelo del encuentro en un tema
de Bersuit Vergarabat (39-58)
Juan Alberto Quelas

O FILÓSOFO E O “POETA MALDITO” (59-77)
Neide Boechat

A teologia às avessas de José Saramago em Caim (78-104)
Marcio Cappelli

Rastros do sagrado: O encontro entre literatura e teologia em Nikos
Kazantzákis (105-119)
José Renato Santos

Reflexões sobre o Mistério na Arte Sacra (120-146)
Wilma Steagall De Tommaso

Santa Cecília – arte e devoção através da música (147-183)
Carin Zwilling


Artigos
--------
UM TRATADO PARA O AMOR (184-207)
Maria José Caldeira do Amaral


Relatos de Pesquisa
--------
Entre la ficción transgresora y la historia - La refiguración evangélica
del acontecimiento “Jesucristo” o Persuadir desde la tarea narrativa 
mimética (208-239)
Hernán Pablo Fanuele


Entrevista
--------
AVE POESIA: PATATIVA DO ASSARÉ! - ENTREVISTA COM GILMAR DE CARVALHO.
(240-245)
Emerson Sbardelotti Tavares, Antonio Manzatto


Resenhas

Resenha da Obra Dom Pedro II: Um Tradutor Imperial (246-253)
Patricia Leonor Martins, Elaine Cristina Reis Martins


Homenagem
Homenagem a Dra. Agustina Serrano Pérez (254-262)
Alex Villas Boas, Antonio Manzatto, Cecília Avenatti de Palumbo


________________________________________________________________________
Revista Brasileira de Literaturas e Teologias
http://revistas.pucsp.br/teoliteraria

O texto foi escolhido por se tratar de uma análise evolutiva da história e suas prospecções futuras. A contribuição da professora com essa pesquisa é sem dúvida um bom marco teórico para desenvolver qualquer pesquisa. As contribuições que podem se desdobrar, não apenas no momento atual, mas em toda a carreira de um pesquisador, são muito importantes. Pode-se ver proposições inclusive de rumos que se abrem para o historiador.

Neste importante estudo, Davis Gueiros Vieira, PhD em História da América pela American University (Washington, DC) e professor aposentado da Universidade de Brasília, registra de forma esclarecedora a participação dos protestantes na chamada Questão Religiosa, resumidamente entendida como conflito entre católicos ultramontanos e a maçonaria na segunda metade do século XIX. Partindo de 1850, o autor apresenta os antecedentes dos fatos que, sem dúvida alguma, foi o mais duro conflito entre a Igreja e o Estado do século XIX. A presente obra foi fruto de dez anos de pesquisa para a tese de doutorado defendida em 1973 (p.11), destacando-se pelo forte caráter empírico. A apresentação da obra é feita por ninguém menos que Gilberto Freyre que, em 1978 afirma:

           Os especialistas têm muitas ideias do motivo por que os casamentos se desmoronam. Mas uma das minhas respostas favoritas vem de alguém que deu um conselho literário sobre casamento — uns 200 anos atrás: Jane Austen.

A senhorita Austen tinha um olho prazerosamente satírico — uma maneira de olhar a vida que se refletia nas novelas dela. Mas conforme Benjamin Wiker aponta em seu recente livro “10 Books Every Conservative Must Read” (10 Livros que Todo Conservador Tem de Ler), Austen, filha de um pastor evangélico, também tinha uma forte essência bíblica de bom senso — principalmente no que se referia a relacionamentos românticos. Os livros dela refletem a ordem moral, e celebram o casamento.

Wiker observa que Austen viveu durante o início do movimento do romantismo. Os românticos viviam uma vida “definida pelas paixões do momento. Para eles, sentir era tudo”.

Na novela dela “Sense and Sensibility” (Razão e Sensibilidade), Austen descreve as consequências inevitáveis dessa maneira de olhar a vida. É a história de duas irmãs, ambas das quais se apaixonam profundamente. A irmã mais velha, Elinor, “aprendeu a governar e guiar suas paixões através da razão”, diz Wiker — e no final de tudo se casa com um homem de bom caráter.Em contraste, a irmã mais nova, Marianne, se entrega a suas paixões sem se importar com a prudência. Embora Elinor avise Marianne para não entregar o coração dela a um jovem atencioso que ela mal conhece, para Marianne, comenta Wiker, “a paixão é a coisa principal. Os sentimentos têm de tomar o lugar da razão”. E “sendo uma criatura de sensibilidade, Marianne não tem juízo”, nenhum interesse em aprender bom juízo moral, que envolve “treinar os sentimentos por meio do hábito e da razão”.

Marianne tinha ainda de aprender o que C.S. Lewis ensinava: que a questão não é quais sentimentos por acaso tenhamos, mas quais sentimentos deveríamos ter. Portanto, diz Wiker: “Temos de nos educar a treinar nossos pensamentos e sentimentos a refletir de forma correta a real ordem moral”. Marianne não via nenhuma necessidade para isso — e essa é a razão por que, no tempo devido, o coração dela foi ferido pelo imprestável jovem pelo qual ela tinha com tanta pressa — e imprudência — se apaixonado.

Infelizmente, nossa cultura adotou a atitude de Marianne até à sua conclusão lógica — e trágica —, comenta Wiker. Como os românticos, o moderno esquerdismo celebra “a vitória da sensibilidade acima do bom senso, as paixões acima da razão, a auto-concentração acima do dever moral e a anarquia romântica acima da tradição”.

Jane Austen teria “com toda a justiça ficado horrorizada com nossa atitude de não dar atenção aos avisos dela, mas não teria ficado surpresa com os resultados” — inclusive, lamentavelmente, com o elevado índice de divórcios e a sedução de tantas jovens descuidadas nas mãos de homens de mau caráter.

Como seríamos mais felizes se tanto homens quanto mulheres tirassem o tempo para aprender bom juízo moral e controlar seus sentimentos mais impulsivos para refletirem a ordem moral. Em vez de se precipitarem de cabeça para o casamento, eles deveriam ir lentamente, convidando o conselho de pessoas sábias como pais, amigos e conselheiros de igreja.
Embora seja “uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro na posse de uma grande fortuna tem necessidade de uma esposa”, conforme Austin satiricamente fala — ela se certificaria de que seus leitores tivessem aprendido um objetivo mais sério: que a rota para a felicidade matrimonial é reconhecer que há uma ordem moral, e que nós a ignoramos por nossa própria conta e risco.

Publicado com a permissão de Breakpoint.org

Tradução Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

 

Veja também o original em inglês:

http://www.lifesitenews.com/news/embracing-the-moral-order-jane-austens-marital-advice

 

 

 Com a sua habitual clarividência lamentava Teilhard de Chardin o fato de o homem moderno, ainda condicionado às amarras do Neolítico, tratar a pesquisa científica como algo acidental e acessório e investir, de modo exclusivo e parcial, somas avultadas na fabricação de armas ou na busca desorientada da produção de alimentos.

 Infelizmente, fiel às antigas rotinas, o homem não vê na Ciências senão um meio novo de obter as mesmas velhas coisas: solo e pão. Quase tudo para a produção. Quase tudo para os armamentos. Mas, proporcionalmente, para a pesquisa e para o laboratório, quase nada.

 É esta a crua realidade constatada, principalmente se tomarmos consciência de que, em termos globais, são destinados mais recursos para a fabricação de um couraçado do que para o incentivo mundial à pesquisa.

 A ser verdadeira a constatação, não poderemos deixar de acolher, com vivo entusiasmo, toda e qualquer iniciativa que objetive o incentivo à pesquisa, especialmente quando visa à busca do desenvolvimento econômico de uma região extremamente necessitada como é o caso do “Estudo do remanejamento da Pecuária na Zona Norte do Ceará”, pesquisa histórica patrocinada pela SUDEC e tendo a cooperação de nossa Fundação Universidade Vale do Acaraú.

 O primeiro volume relativo aos primeiros dados pesquisados aqui está, publicado em excelente forma gráfica, graças à compreensão da Superintendência desta autarquia, bem como a eficiência da Dra. Luciara Silveira de Aragão e Frota, coordenadora do Projeto, e à dedicada equipe de técnicos da SUDEC e de universitários da UVA.

 Mais uma vez fica comprovado que as grandes realizações só são possíveis com a colaboração de pessoas que resolvem trabalhar de mãos dadas em um esforço conjunto.

 Estão de parabéns a ciência e a cultura cearense pela edição deste volume que fornece dados preciosos para tornar possível o assentamento das bases imprescindíveis à futura construção de projetos destinados ao soerguimento econômico do setor primário na região norte do Estado.

Sobral, 25 de julho de 1974

 

Pe. Francisco Sadoc de Araújo

Presidente do Conselho Diretor da UVA

Creativity is the capacity of to join fantasy and materialization.Who teaches that is the italian sociologist Domenico of Mesi.There is to be descovered the criativity and the inclination of the thing and, to remove the obstacles of the road.

It is more or less inside of that revenue that you /they move the emergent countries.But, any mistake in the ingredients and the population is who more you/he/she suffers.See Russia and all your warli-Ke potencial.Even so,your citizens don’tescape from consuming italianice creams with date of due production.Good, does he/she wonder the one what the poorcountries they have to give to the rich ones?Air bases, naval,your culture and matter excels.It is a new slaveryform.Less painful, stiller a slavery.A modern type of slavery.

It is useful, in this case, to do use of insert attempts not distanced of the reality.Emittedsigns of the USA leave clear that there are not reasons for torrents of expectations, like this so positive for Latin –American states.There is not interestof the “cousin poterza” in beginning aconversion process to the Latin regionalism.

The structure of change powders polarity in the word politics,generated efforts to strengthen regional government’s initiatives.gone back to the globalization.Alignment strategiesand concerns with subjects of distribution of power in regional and global level.Without a doubt, inthe brazilian

Case, to quadruplicateto divide and to demonstrate liguisticdomain in imitations ofGreman , inthe meeting as the one of Rio, does’t increase the credibilityof the Country.In fact,we didn’t need to be deep to know that important it was eaten very well.

He/She/you doesn’t refuse the importance of MERCOSUL, important fuel for expansion of the level “gesselschaft”(F.Tonnies.), complicatedword to designate developing of the sociological idea of association of business.the one that she criticize is theresult of the lack of presidential creativity with relationshipto the application of another concept of the same sociologistthe “gemeinshchaft” , initially employee for the communities ‘s stydy,used to analyse reasons of solidarity and loyalty

From behind of the regionalism.The elasticity of the concepts,well it could be backdrop to the rela-Tionship fantasy – materealization.Stiller: to remove obstacles of the road...

Domingo, 08 Março 2015 21:41

Carapinima Ecos e Icones

Seu livro, Rua Carapinima- Ecos e Icones, resgatou e imortalizou o carrossel da minha infancia, por isso, sou-lhe enormemente grata. Nunca pensei, quando recebi de voce este presente, que tal leitura fosse desencadear em mim lembrancas e emocoes tao intensas quantas as que agora sinto.

Pagina 1 de 2