Relações Internacionais (39)

RESUMO: Com toda a boa vontade e estupidez, criamos um território praticamente estrangeiro em área que outrora fora sacrossanto território nacional.

A resposta brasileira de longo prazo ao dinâmico avanço das empresas e investimentos da PR China na busca de mercados e recursos naturais nas Américas, África e na Europa do Leste é a construção de uma nova imagem do Brasil - produtor de bens e serviços de excelência, com preços e qualidade concorrenciais ao que melhor existe no mundo.

De quem seria a culpa do presente desastre econômico nos EUA? A imprensa brasileira tenta culpar George Bush, e a alegada "ganância dos bancos". Mas como realmente tudo isso aconteceu?

O futuro das relações empresarias entre o Brasil e  o continente africano exige em primeiro lugar que a África, particularmente sua costa Atlântica seja conhecida. Hoje, esta realidade é desconhecida. Conseqüentemente, o potencial de ingresso de quadros técnicos, produtos e tecnologia brasileiras é pouco aventado e o pouco que existe é nos demandado, basicamente, das áreas de influencia dos países membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.

Estou escrevendo no meio da noite, às 3:30 da manhã. Não consegui dormir, após ter visto na TV o discurso de Barack Hussein Obama, aceitando sua nomeação para a presidência da república americana, e o delírio da multidão alí presente.

Considerando a premissa básica de relações internacionais de que o tempo diplomático difere do tempo cronológico, há somente resultados positivos a apurar, no horizonte temporal dos próximos 5 a 10 anos no que tange ao desenvolvimento das correntes de comércio de bens e serviços. Para o Brasil em especial é o tempo necessário a concretização da integração da infra-estrutura da América do Sul possibilitando à nossa circunstancia geográfica o compatível espaço no concerto das Nações do século XIX.

Quinta, 04 Abril 2013 00:04

Apelo à ONU

Vocês sabiam que o CIR - Conselho Indigenista de Roraima (criado pelo CIMI), já encaminhou à ONU pedido de "proteção" das lideranças indígenas da Raposa Serra do Sol? O CIR pede que a ONU interfira num problema interno brasileiro, como se ela fosse entidade superiora e reguladora da vida nacional.

De 1982 até 1996, participei de mais de uma dúzia de viagens ao longo do rio Amazonas. Partindo de Macapá, no Amapá, íamos até Iquitos no Peru, e de volta a Belém do Pará. Essas viagens em geral duravam um total de 45 dias.

Cinqüenta anos atrás, conheci um médico americano que estivera como missionário na China, em Shanghai, antes da guerra. O grande trabalho que ele tinha, assim me contou, era de sair com um grupo pelas montanhas, todas as noites,apanhando os bebês de sexo feminino, que tinham sido abandonadas pelos pais, para trazê-las para o hospital e orfanato da missão,em uma tentativa de salvar suas vidas, ou simplesmente para dar-lhes um enterro condigno.

Pagina 3 de 3