Quarta, 24 Setembro 2014 16:23

O Pranto dos Filhos-da-Viúva

 
Avalie este item
(0 votos)

O desalento, o desencanto, o desamparo e o desespero – Oh! Deus, quantos “des” e ainda ficou subentendido: o “des” de desvalida – tomaram conta da tropa. A expectativa e a confiança esvaíram-se ante a decisão do Governo Estadual.

 

O Governador Cid Gomes, depositário de nossa esperança em alavancar a Segurança Pública, deixa-nos atônitos e inseguros! Extasiados, atônitos e inseguros, ficamos os filhos-da-viúva – os policiais militares – frente à notícia de que o Governo Estadual decidiu não autorizar concurso público para o Quadro de Saúde da PM. Sentimo-nos golpeados. Órfãos.

Nossa Polícia Militar teve pai e padrastos: O Governador Parsifal Barroso equiparou-se ao Exército; Virgílio Távora desequiparou; Plácido Castelo manteve-a – em época de inflação – cinco anos sem aumentos, deixando-a de pires-na-mão; César Cals e Gonzaga Mota minoraram o estado de penúria; Tasso reduziu vencimentos e desautorizou descontos de seguros de vida e saúde na folha de pagamentos, para que os salários não fossem ridicularizados. Pela irrisão.

 A PM conta com 13.700 homens na ativa, quando Fortaleza é a atual quarta capital do Brasil, em população! É a segunda polícia mais mal remunerada do país. O êxodo rural esvazia o campo, promove o inchamento e favelização da periferia da capital, semeando o canteiro da violência!

 O ano de 2007 assistiu os assassinatos de 20 policiais e o suicídio de oito num clarividente reflexo da pressão sobre nossas vidas. Semana passada – como previ em minha fala, o ano passado, durante Encontro de Saúde das Policias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil, em Fortaleza, na presença do Dr. Roberto, Secretário de Segurança e Cidadania do Ceará – os bandidos começaram a matar policiais, buscando em suas casas. Mataram um sargento e um cabo, em dois atos isolados!

Além dos 13.700 policiais ativos, há em torno de 3.000 na reserva e 60.000 dependentes. Este extraordinário contingente conta apenas com seis médicos militares para atendê-lo e gerir a saúde da tropa! Não obstante a OMS definir saúde como sendo o bem-estar físico, mental e social do indivíduo, corre solto na caserna, o comentário – não sei se jocoso ou desesperador – de que os R$ 1.090,00/mês recebidos por um PM, não dão para ele e a esposa consumirem nas cinco refeições diárias básicas: um hot-dog e um café pingado, em dada uma delas. Se o fizerem sobram-lhes R$ 190m00/mês para pagar moradia, roupa, luz, telefone, água e plano de saúde (este está se tornando compulsório). Como vivem? Para a OMS são doentes!

O respeito que desfruta o Quadro de Saúde da PM do Ceará, Brasil afora, exige relembrar: Há vinte anos -1998- no Ceará- foi fundada a Academia Nacional de saúde das Policias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil. Tive a honra de encabeçar o movimento juntamente com Diretores de Saúde das PMs brasileiras, cuja finalidade principal era fortalecer os Serviços de Saúde das PMs e evitar extinções. Neste ínterim a Academia já foi sediada em dez Estados Brasileiro, estando, hoje, no Rio Grande do Norte. Lutamos contra a extinção do Quadro de Saúde da PM da Bahia – que graças à lucidez dos Governos e Comandos baianos voltou com todo o brio, após amargar a humilhação de extinção!

Senhor Governador Cid Gomes, nas mãos de V.Exª. deposita-se nossa confiança! O Ceará tem tradição. É a terra da luz. É o berço nascedouro da Academia de Saúde das Policias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil! Não permita que estes louros escapulam do Ceará. Não, pelas mãos de V.Exª.

A definição de Saúde da OMS aponta para que tenhamos um Serviço de Saúde fortalecido, pois estamos doentes. Uma tropa doente não leva segurança à sociedade. Deixar extinguir o QOS da PM Ceará é um desserviço à segurança; é entregar a saúde da PM à voracidade dos grupos caça-níqueis representados por “alguns planos privados de saúde”: é desfavorecer os soldadinhos – menos aquinhoados. É tirar a tranqüilidade da tropa. É abalar a segurança! É, acima de tudo, desdoirar um louro do Ceará, conquistado à duras penas, o que não condiz com o contrato-psicológico com que V.Exª. angariou nosso voto, nosso respeito e esperança!

Lido 426 vezes Última modificação em Terça, 26 Maio 2015 20:21
Nonato Soares de Castro

Odontólogo, militar e escritor