NEHSC

NEHSC

Os fãs de Thalita Rebouças e de Maurício de Sousa se reuniram com os autores para um bate-papo na tarde deste sábado (31) no Auditório Mário de Andrade, no pavilhão Verde do Riocentro, durante a 16ª Bienal do Livro do Rio. Na ocasião, Thalita comemorou o fato de seu livro “Tudo por um Popstar” ter se tornado uma peça teatral e anunciou que o “Fala Sério, Mãe” terá o mesmo destino e que “Tudo por um namorado” vai se tornar filme.

“Eu não sei ainda quando isso vai acontecer. Eu já vendi os direitos autorais, mas essas coisas demoram porque envolve muita gente. Espero que aconteça logo”, completando que gosta de dar pitacos nos atores que interpretam seus personagens.

Do lado de fora, um grupo de adolescentes que não conseguiu entrar gritava “Thalita, eu te amo”. A dupla, já conhecida por outros sucessos solo, esteve na feira para divulgar a parceria “Ela disse, ele disse – O namoro”. Segundo Thalita Rebouças, o convite de Mauricio surgiu na Bienal do Livro do Ceará,  em 2010. O projeto levou três anos para se concretizar.

Antes da conversa iniciar, os personagens de Maurício de Sousa , Mônica e Cebola, da Turma da Mônica Jovem, estiveram presentes. “Eu lia vocês quando vocês ainda eram pequenos, eu tinha conta no jornaleiro para ler vocês”, acrescentando que a filha de Mauricio de Sousa deu a ideia para que os integrantes da Turma da Mônica Jovem lessem o livro ao mesmo tempo que o leitor em “Ela disse, ele disse – O namoro”.  “Desculpa, mas agora, Mônica e Cebola são meus leitores”, brincou.

Questionado pelo público sobre seus personagens se tornarem filme novamente, Maurício de Sousa disse que parou de fazer filmes porque a produção é muito cara. “É preciso se trabalhar muito, fazer uma distribuição audiovisual internacional para que o filme se pague. Mas é possível que a gente volte a fazer daqui a dois anos. Vamos fazer um filme do Horácio em 3D, com efeitos especiais”, afirmou o cartunista.

Um leitor sugeriu a Maurício de Sousa que ele crie um personagem de Thalita Rebouças em seus quadrinhos. “Eu adoro ideias malucas. É uma coisa a se pensar”, respondeu. Eu estou desenhada por ele na ultima pagina do livro.

Ambos disseram ao público que sua inspiração vem da observação do mundo. “Eu me inspiro no contato que tenho com os adolescentes. Adoro misturar realidade com imaginação. Às vezes uma frase já pode dar origem a um livro”, disse Thalita.

Fonte: G1

Para Francisco, a explosão criadora do Universo, que hoje se coloca como origem do mundo, não contradiz a intervenção criadora divina, mas a exige. Foi o que declarou em discurso na Pontifícia Academia de Ciências. Na ocasião, o papa inaugurou um busto de Bento XVI 

Organização católica diz que Parlamento Europeu mostrou sensibilidade pelos sofrimentos dos cristãos no Médio Oriente

A Pedra de Gabriel

Está sendo exposta em Jerusalém uma lápide do fim do século I a.C. cujo texto – considerado “misterioso” pelos especialistas – foi escrito com tinta em caracteres hebraicos, noticiou o “Boston Herald”.

É a chamada “Pedra de Gabriel”, ou “Visão de Gabriel”, segundo o Prof. Ada Yardeni, pelo fato de o arcanjo aparecer como figura central.

A pedra mede um metro de altura e foi descoberta no ano 2000 na margem oriental do Mar Morto, por um beduíno da Jordânia.

Análise da terra colada à pedra revelou uma composição química que só se encontra nessa região.

O escrito tem 87 linhas e está dividido em duas colunas. Trata-se de um texto profético anotado quando ainda existia o Templo que Jesus frequentou.

Os especialistas consideram a “Pedra de Gabriel” um pórtico que ajuda a entender as ideias que circulavam na Terra Santa sobre o Messias pouco antes de Jesus nascer.

O método de gravar com tinta sobre a pedra e não entalhar, como era o costume, é único.

Nada se achou de semelhante na região do Mar Morto até o presente.

“A ‘Pedra de Gabriel’ é em certo sentido uma espécie de Rolo do Mar Morto escrito sobre uma pedra”, sustenta James Snyder, diretor do Museu de Israel.

Ela provém da mesma época e utiliza caligrafia idêntica à de alguns dos Rolos do Mar Morto, entre os quais se contam os mais antigos manuscritos hebraicos da Bíblia.

Para os responsáveis do Museu de Israel, trata-se do documento mais importante achado na região.

Em 2008, a “Pedra de Gabriel” causou polêmica quando o professor Israel Knohl, da Universidade Hebraica de Jerusalém, defendeu que ela revolucionaria a compreensão dos inícios do cristianismo.

Segundo ele, o texto profetiza a ressurreição do Messias. Knohl baseia sua teoria na frase “após três dias Tu viverás”.

Esta posição suscitou uma tempestade no mundo acadêmico, com um Congresso científico e um documentário do National Geographic incluídos. A polêmica continua até hoje.

Muitas letras ficaram apagadas em partes cruciais, havendo muita polêmica sobre a interpretação. Só 40% das 87 linhas são legíveis, e muitas delas parcialmente.

Uma equipe americana usando tecnologias de escaneamento em alta resolução tentou detectar caracteres apagados, mas sem resultado.

São Gabriel: um dos personagens centrais

Os especialistas, entrementes, concordam que as partes legíveis trazem a visão apocalíptica de um ataque contra Jerusalém – a cidade santa e prefigura da Igreja – durante o qual Deus intervém para salvá-la rodeado de anjos e carros.

O personagem central é São Gabriel, o arcanjo portador do anúncio da Encarnação, que se apresenta na Pedra dizendo “Quem sou eu? Eu sou Gabriel o anjo”. No texto aparece também o nome de São Miguel.

As inscrições mencionando São Gabriel acenam para uma “revoada de anjos sobre o Templo de Jerusalém” num momento de grande angústia para os fiéis que restam na cidade, explicou Adolfo Roitman, um dos responsáveis da mostra.

“Gabriel não é arqueologia. Ele é relevante para milhões de pessoas na terra que acreditam que os anjos são seres celestiais atuantes na terra”, disse Roitman.

As duas vindas do Messias

A revista especializada Biblical Archeology Reviewfoi a primeira a publicar uma densa matéria sobre a enigmática pedra na sua edição de janeiro-fevereiro de 2008, assinada pelo Prof. Ada Yardeni.

Segundo Yardeni, estamos diante de um texto judeu que precede de muito perto o cristianismo e apresenta duas vindas do Messias em formas assaz diversas.

Segundo uma das formas, o Messias viria como filho de José (Efraim). Sob esta forma, o Messias padeceria, morreria e ressuscitaria três dias após a morte. Essa seria a razão de ser das palavras “após três dias Tu viverás”.

Na outra forma da vinda do Messias, Ele aparece em majestade, patenteando sua raça real e sua condição de filho, ou sucessor, do rei David.

Nesta segunda vinda, o Messias retornaria acompanhado por exércitos celestes em ordem de batalha e obteria uma vitória militar mística, angélica e material, salvando os últimos fiéis que estão a ponto de perecer nas mãos dos inimigos que os rodeiam.

Assim, o Messias instituiria seu reinado sempiterno após uma “jornada de batalha”.

Ele fará de seus inimigos, até então vencedores, uma peanha sobre a qual assentará seus pés. O Messias filho de David é um Messias triunfal.

As duas vindas do Messias da “Pedra de Gabriel”, portanto, correspondem admiravelmente às duas vindas de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo as Sagradas Escrituras.

A primeira já foi efetivada e está descrita nos Evangelhos. Nosso Senhor veio como filho de José, padeceu, morreu e ressuscitou ao terceiro dia para nos remir.

Na segunda vinda, anunciada no Apocalipse, Nosso Senhor voltará para uma grande jornada vitoriosa contra os maus, encerrar a História e instalar seu reinado por todo e sempre.

O Apocalipse e a segunda vinda de Cristo

Escreve São João no Apocalipse:

“11. Vi ainda o céu aberto: eis que aparece um cavalo branco. Seu cavaleiro chama-se Fiel e Verdadeiro, e é com justiça que ele julga e guerreia.

“12. Tem olhos flamejantes. Há em sua cabeça muitos diademas e traz escrito um nome que ninguém conhece, senão ele.

“13. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome é Verbo de Deus.

“14. Seguiam-no em cavalos brancos os exércitos celestes, vestidos de linho fino e de uma brancura imaculada.

“15. De sua boca sai uma espada afiada, para com ela ferir as nações pagãs, porque ele deve governá-las com cetro de ferro e pisar o lagar do vinho da ardente ira do Deus Dominador.

“16. Ele traz escrito no manto e na coxa: Rei dos reis e Senhor dos senhores!” (Ap 19; 11-15)

E ainda descreve o reinado futuro de Nosso Senhor, a nova Jerusalém pelos séculos dos séculos, nos termos seguintes:

“1. Vi, então, um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram e o mar já não existia.

“2. Eu vi descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, a nova Jerusalém, como uma esposa ornada para o esposo.

“3. Ao mesmo tempo, ouvi do trono uma grande voz que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens. Habitará com eles e serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.

“4. Enxugará toda lágrima de seus olhos e já não haverá morte, nem luto, nem grito, nem dor, porque passou a primeira condição.

“5. Então o que está assentado no trono disse: Eis que eu renovo todas as coisas. Disse ainda: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” (Ap. 21, 1-5)

São Gabriel: o arcanjo dos grandes anúncios

Faz muito sentido também que o anjo que na Pedra anuncia essas duas vindas seja São Gabriel. Ele é o arcanjo que anunciou a Zacarias que sua mulher Isabel, já idosa, conceberia o precursor São João Batista (Lucas 1; 11-20).

E é o arcanjo da Anunciação que comunica a Nossa Senhora a Encarnação do Messias que viria a remir o gênero humano, padecendo, morrendo e ressuscitando. (Lucas; 1, 26-38)

Ele é por excelência o arcanjo anunciador da primeira vinda de Jesus.

Além do mais foi São Gabriel quem anunciou ao profeta Daniel a segunda vinda de Cristo, no fim do mundo, quando os últimos católicos estivessem a ponto de sucumbir, para inaugurar o Reino eterno após o fim da História.

15. Ora, enquanto eu contemplava essa visão e procurava o significado, vi, de pé diante de mim, um ser em forma humana,

“16. e ouvi uma voz humana vinda do meio do Ulai: Gabriel, gritava, explica-lhe a visão.

“17. Dirigiu-se então em direção ao lugar onde eu me achava. À sua aproximação, fiquei apavorado e caí com a face contra a terra. Filho do homem, disse-me ele, compreende bem que essa visão simboliza o tempo final.

“18. Enquanto falava comigo, desmaiei, com o rosto em terra. Mas ele tocou-me e me fez ficar de pé.

“19. Eis, disse, vou revelar-te o que acontecerá nos últimos tempos da cólera, porque isso diz respeito ao tempo final”. (Daniel 8; 15-18)
O arcanjo Gabriel ainda revelou a Daniel o pecado final dos homens, o qual precederá a segunda vinda de Nosso Senhor:

“20. Eu falava ainda, pedindo, confessando meu pecado e o de meu povo de Israel, depositando aos pés do Senhor, meu Deus, minha súplica pelo seu monte santo;

“21. não havia terminado essa prece, quando se aproximou de mim, num relance, Gabriel, o ser que eu havia visto antes em visão.

“22. Deu-me, para meu conhecimento, as seguintes explicações: Daniel, vim aqui agora para te informar.” (http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/daniel/9/#.UZv-fcqS9hs)

A “Pedra de Gabriel” ainda está sendo analisada. Porém, o que dela se extrai nos conforta na certeza de ser Jesus o Messias prometido aos patriarcas e profetas de Israel.

E de ser Aquele que as almas retas do povo eleito aguardavam.

Fonte: Blog Ciência confirma Igreja

Inscrições (grátis) e Informações (programação e nomas para apresentação de trabalhos) em: http://gphismpiuff.blogspot.com.br/

Apesar da temática geral do I SEFLUHISPI ser referente aos 50 anos do Golpe de Estado de 1964, os trabalhos para os Simpósios Temáticos não precisam versar especificamente sobre o Golpe e/ou sobre a Ditadura e a Transição à Democracia. Poderão ser enviados também trabalhos que não tratando diretamente da temática central abordem os temas pesquisados pelo GPHISMPI: relações de poder, relações de classes, dominação de classe e formas de resistência, ideologias, dominação e resistência cultural/ideológica, poder econômico, poder político, micropoder, dominação de gênero e resistências; história militar, militares e doutrinas militares, história das guerras, guerra fria, Forças Armadas, memória militar, ensino militar, educação e relações de poder, etc. Da mesma forma não há uma delimitação temporal específica. Ou seja, os trabalhos tanto podem analisar processos históricos do passado distante como podem abordar temas ligados à História do Tempo Presente.

Prof. Dr. Luiz Claudio Duarte

Quinta, 21 Fevereiro 2013 01:48

Dia da luta contra o câncer.

Amigos, 
 
Como se trata do maior sonho da humanidade,
vamos ajudar na sua realização.

Próxima sexta-feira
Por favor faça circular, não guarde só para você e nem apague.

Este ano há muitos diagnosticados de câncer que têm estado próximo de
nossos lares. Por todos os amigos, família, seres queridos e aqueles
que talvez não conhecemos...

Sexta-feira é o dia mundial do câncer - Agradeço que reencaminhe,
embora saiba que 93% não o fará!!!
É uma pequena oração.
Só uma linha.

Senhor Deus, rogo-te por uma cura para o câncer.
Amém!

O único pedido é que mantenha este e-mail a circular, ainda que só
seja para uma pessoa mais.
Pela memória de alguém que você conheça que foi vencido pelo câncer ou
que ainda vive com ele.
Uma vela não perde nada quando acende outra vela.
Por favor, mantenha esta vela acesa!!!
 
Saúde e Paz. Sempre com DEUS.

Crianças iraquianas que conseguiram fugir da violência. Foto: ONU/Bikem Ekberzade

Cerca de 10 mil pessoas de comunidades predominantemente cristãs no norte do Iraque fugiram de suas casas nesta semana em meio à violência em curso em Mosul, disse a agência da ONU para refugiados (ACNUR), nesta sexta-feira (27). Segundo o ACNUR, as pessoas que fugiram são de Qaraqosh, uma cidade de 50 mil pessoas localizada a 30 quilômetros do sudeste de Mosul, onde grupos armados de oposição assumiram o controle há duas semanas.
“Muitas são mulheres e crianças que estão com suas famílias e parentes em escolas e centros comunitários, principalmente em Erbil. Eles nos dizem que fugiram tão rápido que não trouxeram quase pertences com eles, sinal do medo que passaram”, disse a porta voz da ACNUR, Melissa Fleming.
Questionada sobre se os cristãos que fugiam dos combates tinham sido diretamente visados por causa de sua religião, Fleming respondeu que eles afirmaram estar fugindo preventivamente. “Certamente há um medo generalizado entre a comunidade cristã nesta área. Mas, neste caso particular, não houve segmentação específica, mas sim saída preventiva por medo de que iria acontecer”, afirmou.
O ACNUR afirmou que muitos fugiram para a região do Curdistão iraquiano, que já hospeda 300 mil pessoas de Mosul e de áreas adjacentes. A agência e seus parceiros estão distribuindo barracas, colchões e kits de higiene nas escolas e centros comunitários em Erbil e, juntamente com autoridades curdas, tem ajudado a expandir e construir novos campos para acomodar o número crescente de famílias deslocadas internamente. Só neste ano, até agora, cerca de 1,2 milhão de iraquianos foram deslocados pelos combates.

Terça, 04 Outubro 2016 14:57

Paulo Maria de Aragão

Dia 19 de dezembro, sábado, a partir das 9:30, será realizada a Sessão da Saudade em memória do Acadêmico Paulo Maria de Aragão, falecido no dia 1º do corrente mês.

A solenidade será em auditório da Academia Cearense de Letras, no Palácio da Luz, ao lado da Igreja do Rosário, no Centro da Cidade. O quarteirão correspondente da Rua Sena Madureira é servido de três parques de estacionamento de veículos.

A Sessão da Saudade é um momento regimental em que se homenageia postumamente o acadêmico falecido, em que se declara vaga a sua cadeira, e se lhe abre oficialmente a sucessão.

Convocamos todos os membros da ACLJ, notadamente aqueles que privaram e conviveram com o confrade Paulo Aragão, bem como estão convidados todos os seus parentes e amigos.

A Diretoria da ACLJ

Pagina 4 de 8